Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

Artigos

01/04/2013

Encantador de Jardins

Encantador de Jardins

Queridos leitores, paz! Era uma vez um senhor muito sonhador. Sonhou com sua casa com grama, árvores frutíferas, vários jardins. Tanto sonhou que, um dia, conseguiu realizar o seu intento.

A grama era um tapete sob seus pés, as árvores frutíferas no pomar exalavam cheiros de frutas e de flores. Nos jardins, ele cultivava diversos tipos de flores das mais variadas cores. Flores rasteiras e pequenas, flores grandes e com arbusto. Flores brancas, vermelhas, rosas, amarelas, lilás e roxas.

Tudo aquilo gerou um fato novo talvez não previsto em seus sonhos. Vieram alguns pássaros, dezenas, e aos poucos eram centenas, e há quem diga que apareceram milhares deles. Diante de tamanha surpresa, ele começou a apedrejar os pequenos animaizinhos. Em alguns, as pedras foram longe, em outros, as pedras passaram de raspão, em outros, elas acertaram em cheio, comprometendo o voo de retorno ao ninho, onde alimentariam seus filhotes.

Todas as pessoas que observavam aquela situação sem entender o porquê aquele homem fazia aquilo, também observaram que grande parte dos pássaros não retornou aquele lugar, sequer passavam próximo. Mas tinha alguns que corriam o risco de serem apedrejados, mesmo assim vinham ao pomar e ao jardim do homem sonhador.

A metáfora desta parábola é que algumas pessoas passam boa parte do tempo atraindo pessoas para próximo de si, das diversas formas, e quando conseguem, algumas simplesmente as repele, as repulsa, as afasta para longe com atos surpreendentes.

E você, tem plantado árvores frutíferas, tem feito jardim, tem atraído borboletas e beija-flores? E o que tem feito com aqueles que se aproximam? Lembrando que isso é assim para mim hoje.

Beto Colombo

Carregando sistema de comentários
Veja todos os artigos